Televes Televes
Televes
Language: en | fr | de | it | pl | pt | ru | es | en-us
Televes
Televes
Televes
Televes

Informa 37 (Abril 2010)

AttachmentSize
it_37.pdf1.75 MB
Fecha: 
04/2010

  Sumário:

  • Divulgação: Seminários Televés +
  • Perguntas Frequentes: A antena DAT HD BOSS se não for alimentada funciona? + 
  • Novidades de Produto: Fibra Óptica +
  • Fotos curiosas +
  • Dica: Coabitação de sinais Portugueses e Espanhóis em Chaves. +
  • Instalaciones reales: Hotel Vila Galé Coimbra +
  • Formação: Como devem ser feitos os cálculos de atenuação numa rede coaxial? +

 

Seminários Televés

A formação é cada vez mais um aspecto fundamental para o bom desempenho profissional de cada indivíduo. A área das telecomunicações está em constante evolução e exemplo disso são os recentes manuais técnicos Ited e Itur. A Televés tem realizado um esforço suplementar para satisfazer todas as solicitações quer de Associações de Instaladores e Projectistas, Entidade de Ensino e principalmente com aqueles que diariamente cooperam connosco, os pontos de Distribuição de material Televes e a sua respectiva rede de clientes. As imagens de uma destas acções, organizado pelo distribuidor Caiado em Leiria são um bom exemplo disso.

 

Neste seguimento a Televes está a organizar um ciclo de seminários centrados nos seguintes assuntos:
Recentes novidades face ao novo regime Ited e Itur.
Oportunidades de negócio da Televisão Digital Terrestre.
Fibra óptica em redes de SMATV.
Novo catálogo geral de produto.

Para dar a conhecer as mais recentes novidades teremos uma viatura de exposição, de forma a todos poderem testar a mais

 

recente tecnologia disponível para redes de SMATV, coaxial e óptica, e suas respectivas medidas.
Os seminários irão decorrer de 25 de Maio a 30 de Julho, e para participar gratuitamente numa destas acções basta inscrever-se em www.televes.com, e, assinalar uma das seguintes localidades ao qual pretende estar presente 

Indice

Fibra Óptica


A Nova gama de equipamentos Televes para a Recepção e Distribuição de Sinais de satélite através de Fibra Óptica vem alterar radicalmente a forma como os sinais de satélite são transmitidos numa rede residencial.
Num conceito inovador, as 4 polaridades de satélite (HH, HL, VH e VL) são simultaneamente transmitidas no mesmo cabo de fibra óptica do LNB onde utiliza um laser no seu interior para converter o sinal eléctrico em óptico. No final da rede existe um receptor óptico que converte o sinal óptico em eléctrico
 
 
novamente.
O LNB óptico para antenas de OFFSET, ref.2353 é universal e converte as 4 polaridades numa única saída óptica. A ligação coaxial é utilizada apenas para alimentação do LNB. Suporta uma divisão óptica até 32 conversores com 10Km de fibra óptica em cada um se necessário. Com características semelhantes, mas para antenas de Foco Primário existe a Ref.2363.
A conversão óptica em eléctrica, a gama é composta por 3 equipamentos distintos:
Receptor óptico Twin MDU (2 saídas universais  satélite), ref. 2352
 

saídas universais de satélite), ref. 2352
Receptor óptico Quad MDU (4 saídas universais de satélite), ref.2351
Receptor óptico QUATTRO MDU (4 saídas satélite) ref.2350 (HH, HL, VH, VL),
A gama completa-se com os conectores, repartidores ópticos, e cabos de fibra óptica pré-conectorizados.
O nível de qualidade do sinal medido à saída dos receptores ópticos é da mesma grandeza quando comparado à saída de um LNB coaxial convencional

           

Indice

 

A antena DAT HD BOSS se não for alimentada funciona?
 

A antena DAT HD BOSS funciona sempre independentemente se está alimentada via cabo coaxial ou não. No entanto para tirar partido das suas excelentes prestações deverá alimentar

 

 sempre a sua antena independentemente da qualidade do sinal recebido. Desta forma garante a melhor qualidade de sinal possível

 


Indice

As imagens ao pôr-do-sol captadas em pequenos instantes são posteriormente observadas por longos momentos, mesmo que algumas nuvens pairem no céu como neste caso.
Para que o estado do tempo ou a interferência das marés não interfira na qualidade da nossa imagem do pôr-do-sol, dever-se-á considerar sempre uma DAT HD BOSS, …, na televisão ou na fotografia (como neste caso concreto)

 

Indice

 

Coabitação de sinais Portugueses e Espanhóis em Chaves.
A localização e os serviços disponíveis numa determinada região implicam muitas vezes em necessidades diferentes quanto à qualidade de amplificação a instalar.

O exemplo disso são as localidades em zonas de fronteira principalmente quando o objectivo é recepcionar os sinais de ambos os lados da fronteira como é o caso de Chaves.
Os canais analógicos são o 08, 34, 56 e 31 e o 67 da TDT

 

portuguesa, e os  canais da TDT de Espanha, 35,
38, 62, 63, 66 e 68.
Os principais problemas que se encontram são os seguintes:
A. Níveis de sinal de recepção dos canais espanhóis baixos;
B. Os canais 35 e 38 de Espanha embora equilibrados entre si, encontram-se entre os canais analógicos portugueses;
C. O canal 62 e 63 têm níveis de sinal de recepção significativamente desequilibrados e impossíveis de serem amplificados em conjunto;
D. Entre o canal 66 e 68 de Espanha existe um 67 Português da TDT.
A solução para uma correcta filtragem e equilíbrio destes sinais e para uma correcta imagem nas TV’s passa pela adopção de um sistema selectivo Monocanal T03, como mínimo de qualidade a instalar. Isto é:
(a.) Necessidade de instalação de

 

um pré-amplificador Ref.5350 para UHF.
(b.) No intuito de optimizar o sistema, adoptou-se um Monocanal com largura de 32 MHz (4 canais) para filtrar o canal 35 ao 38, já que estes se encontram equilibrados na recepção.
(c.) O mesmo já não é válido para o canal 62 e 63. Só com módulos independentes é possível um correcto equilíbrio entre si.
(d.) Como o canal 67 da TDT portuguesa está entre os canal 66 e 68 de Espanha também aqui existe a necessidade da instalação de módulos individuais. Muitas são as instalações em que ao adaptar-se por uma solução de banda larga mais económica ou uma solução selectiva, a diferença não está entre um sinal razoável e um bom sinal. Está entre uma imagem perfeita ou o ecrã completamente a negro

Indice

Hotel Vila Galé (Coimbra)

O Grupo Vila Galé abre, em Coimbra mais um Hotel 4*.
À semelhança de outros hotéis do grupo, está equipado com processamento para os canais terrestres, 1 canal modulado (canal Vila Galé), 7 canais livres de satélite e 11 canais satélite de operador. Conta também com 1 MUX para TDT com os 4 nacionais terrestres difundidos em norma MPEG4/H.264, dotando assim os LCDs com uma qualidade de imagem ímpar.
A recepção terrestre está a cargo da antena DAT HD BOSS, ref. 1495 para UHF, ref.
1012 para BI e ref. 1201 para FM. A recepção satélite pelas antenas ref. 7572, para o Hispasat e ref. 7488 para o Astra 19,2º.
Os equipamentos, família T05 estão alojadas em bastidor 19” todos eles com possibilidade de controlo remoto através do CDC, ref. 5052 e do respectivo modem IP, ref. 5837.
A instalação foi realizada pela empresa LUZ FRIA com a colaboração do instalador NELSON SILV A & CARAMELO
 

Indice

 

Como devem ser feitos os cálculos de atenuação numa rede coaxial?
Os projectistas ITED estão seguramente mais que habilitados para elaborarem cálculos de uma rede coaxial. Sabem estes que a variável que influi neste parâmetro, essencial para o bom funcionamento de uma rede coaxial, é a atenuação introduzida pelos elementos passivos como Cabo, Derivadores, repartidores, e tomadas às diversas frequências de resposta.

Outro conceito a ter em conta deriva do comportamento intrínseco ao cabo coaxial e que origina a Pendente de uma rede. Os dispositivos passivos como os derivadores, repartidores e tomadas contribuírem na atenuação de uma instalação, mas esta pendente resulta essencialmente das diferenças de atenuação que um cabo coaxial apresenta.
Como deverá o projectista indicar ao instalador o nível de sinal que a central deverá estar ajustada? Para que tipo de Sinal? E Em que canal?
O projectista poderá conseguir esta informação habilmente e fornecer a mesma ao instalador independentemente da posse ou não da informação dos sinais disponíveis nessa instalação.
Analisando a atenuação entre a entrada de um ATI e a tomada coaxial menos favorável (F-) de uma instalação, pelo gráfico 1 podemos concluir que as atenuações entre os 5 e os 862MHz variam linearmente ao longo da frequência aproximando-se a uma recta. A gama de frequências até aos 65MHz não sendo tão linear, recomenda-se o cálculo da atenuação dos 90MHz para além dos 5MHz e dos 862MHz.

  A tabela 42 do Manual ITED indica o nível de sinal necessário nas tomadas dependendo do tipo de modulação.
Assim o nível de sinal a ajustar na Central deverá estar de acordo com o gráfico 2.
Ao instalador na equação y = 0,01x +15,93 basta substituir o valor de x pela frequência central do canal pretendido e adicionar o valor necessário na tomada menos favorável (F-) correspondente à modulação (de acor do com a tabela 42 do manual ited).

Exemplo:

Se na instalação existir o sinal FM, DAB, canais analógicos do Monte da Virgem e o canal 67 para a TDT teremos:

Nível Canal = 0,01xFreq. Canal+15,93+Nível TT Modulação
 

Nível FM = 0,01 x 98 + 15,93+50 = 66,91dBμV

Nível DAB = 0,01 x 220 + 15,93 + 40 = 58,13 dBμV

Nível 9A = 0,01 x 193 + 15,93 + 65 = 82,86 dBμV

Nível 41A = 0,01 x 634 + 15,93 + 65=87,27 dBμV

Nível 44A = 0,01 x 658 + 15,93 + 65 = 87,51 dBμV

Nível 52A = 0,01 x 722 + 15,93+65 = 88,15 dBμV

Nível 67D = 0,01 x 842 + 15,93 + 50 = 74,35 dBμV

Como se pode constatar estes valores estão de acordo com os níveis encontrados graficamente.
Pode-se utilizar o mesmo método para ajuste dos sinais de satélite utilizando as frequências de 950MHz e 2150MHZ

Indice

 

Televes
Televes Televes