Televes Televes
Televes
Language: en | fr | de | it | pl | pt | ru | es | en-us
Televes
Televes
Televes
Televes

0419-2013

A Origem das Interferências na TDT

Descrição: 

É imperativo compreender as vantagens de uma nova tecnologia mas também as suas desvantagens face a novas exigênciasquanto a equipamentos instalados e a ferramentas necessárias para sua aplicação.
Na migração dos sinais analógicos para a TDT passa-se o mesmo. A adaptação e conversão dos sistemas existentes em alguns
casos não originou a necessidade de intervir na instalação.
Em virtude de sucessivas queixas relativas a interrupções constantes do sinal de TDT ao longo do País, o instalador deverá saber diagnosticar a causa que está a provocar as interrupções de sinal. As causas resumemse às seguintes:
1. Ausência de Cobertura em zonas teoricamente cobertas
2. Alterações de potência dos emissores TDT instalados
3. Instalação de novos Emissores
4. Variações de temperatura do ar
5. Interferências do sinal LTE/4G
1. Ausência de Cobertura em zonas “teoricamente” cobertas
A ausência de cobertura em determinadas zonas é um facto e só com a instalação de mais retransmissores TDT é possível satisfazer as necessidades da população para que não exista uma descriminação face à população com acesso à TDT, a qual não tem necessidade de instalação de receptores de satélite por televisor e antena parabólica.
2. Alteração de potência dos emissores TDT instalados Comparando os níveis de potência anunciados dos emissores TDT hà meses atrás com o níveis de potência anunciados no passado mês de Maio, verificam-se aumentos de potência em cerca de 40% dos emissores instalados. A média do aumento de potência é superior a 600W.
A alteração das respectivas potências dos Emissores contribui para que o sinal chegue a locais onde até agora não o era possível. Por outro lado origina que parte das instalações que funcionavam deixem de funcionar. Isto é, num determinado local com possibilidade de recepção de sinal TDT pelo retransmissor A e B, a escolha da orientação caía na direcção do retransmissor A pela verificação de uma maior qualidade de sinal recebida daquele emissor.

 

 

Um aumento de potência do Emissor B contribui num aumento do diagrama cobertura desse emissor. Consequentemente os Ecos aumentam significativamente, podendo originar ausência de qualidade do sinal. A solução pode estar numa reorientação da antena através da análise de ecos do medidor de campo, já que os pressupostos iniciais foram alterados. Com o aumento de potência do retransmissor B a melhor recepção de sinal no local passa a ser efectuada com a orientação da antena para outra direcção. Em situações críticas só é possíveluma correcta orientação da antena receptora com um Medidor de Campo capaz de medir os ecos provocados pelos vários emissores ou reflexões provocadas pelos mesmos.
3. Instalação de novos Emissores
Pontualmente estão a ser instalados mais emissores que contribuem aumentar acobertura TDT em zonas onde até agora era impossível receber o sinal. Se o novo emissor instalado estiver numa zona de confluência com outro emissor já existente pode provocar o mesmo fenómeno explanado no ponto anterior. Mais uma vez a medida dos Ecos com um Medidor de Campo é fundamental.
4. Variações de temperatura/ humidade do ar
As variações de temperatura e a humidade influenciam directamente a propagação do sinal TDT. Por isso é que as queixas relativas a falhas são verificadas mais ao final do dia onde as instalações ficam mais vulneráveis. Os sistemas de amplificação são ajustados para os níveis de sinal ideais. Flutuações de sinal recebido desadaptam por completo as necessidades da instalação. Este problema pode ser facilmente resolvido através da utilização de sistemas com CAG – Controlo automático de ganho. As Antenas com sistema BOSS como o é o caso da Antena DAT HD

 

Boss compensa automaticamente as flutuações de sinal e amplifica mais ou menos dependendo do sinal que chega a cada instante, melhores prestações terá o sistema se for alimentado pela fonte de alimentação activa com CAG, ref.5605.
5. Interferências do sinal LTE/4G
Com o apagão analógico os operadores não perderam tempo e começaram a emitir com a frequência dos 800MHz (ex canal 60). Interferências nos sinais TDT começam a aparecer.
Em zonas onde o sinal do LTE/4G é forte e/ou a orientação da antena de UHF fica apontada na mesma direcção do emissor LTE é possível que o sinal LTE/4G originem interferências ou mesmo ausência total do sinal de televisão.
Isto deve-se ao facto da existência de instalações com sistemas de amplificação de banda larga (470MHz-862MHz) instalados, amplificarem também o LTE (800MHz) e assim elevando-o para níveis muita das vezes superiores ao sinal da TDT. Se o sinal LTE for suficientemente alto podem saturar os sintonizadores dos televisores ou descodificadores TDT.
Paralelamente as instalações com cabos coaxiais de má qualidade com baixos coeficientes de blindagem tornam as instalações vulneráveis a interferências, já que o sinal LTE não é emitido apenas pelas estações base, mas os equipamentos terminais podem também provocar sinal interferente quando utilizados no interior do edifício. Para inibir a entrada do sinal LTE/4G pela antena basta instalar um sistema de amplificação com filtragem e deixar passar apenas o sinal do TDT para a instalação. O Amplificador de Mastro ref.5353 possui uma entrada de UHF canalizada apenas ao canal 56 da TDT para além da entrada FM e FIMix sendo uma óptima solução para o mercado individual. Para soluções colectivas o Novo Amplificador Monocanal T12 permite filtragem ao canal 56 e altos níveis de potênciade sinal à saída. As Centrais programáveis Avant e sistemas de transmodulação T0X são igualmente soluções válidas para este tipo de situações conferindo uma qualidade impar à instalação 

Luis Peixoto
Director comercial

Televes
Televes Televes