Televes Televes
Televes
Language: en | fr | de | it | pl | pt | ru | es | en-us
Televes
Televes
Televes
Televes

2004-006 pt

Tomadas

Descrição: 

1. Conceito

Tal como o Cabo Coaxial, as tomadas de televisão, são de extrema importância para o correcto funcionamento global de uma instalação. A tomada por si só é um dispositivo passivo (introduz atenuação), geralmente com duas saídas: um macho e uma fêmea, ambas em conéctica CEI 9,5 mm.
Na saída macho está sempre presente o sinal de TV (ligação directa ao Televisor), na saída fêmea estará presente o sinal de rádio FM ou o sinal de satélite SAT. Na Televés dividimos as tomadas em duas gamas:

  • 5 - 860 MHz (Terrestres) As duas saídas disponíveis são de TV e de FM (rádio) respondendo, as tomadas, de um forma linear, em toda a banda dos 5 aos 860 MHz, conhecida como banda terrestre. Estas não possuem qualquer tipo de passagem de corrente; a utilizar em instalações colectivas e individuais onde não seja necessário distribuir a Frequência Intermédia (F.I.) de satélite.
  • 5 - 2400 MHz (Terrestres + FI Satélite) As duas saídas disponíveis são de R/TV e de SAT, respondendo, as tomadas, de uma forma linear, em toda a banda dos 5 aos 2400 MHz. Na saída macho temos os sinais de Rádio e TV e na fêmea os sinais de FI de Satélite. Esta saída de Satélite permite a passagem de corrente contínua e sinais de controlo DiSEqC entre um possível receptor de satélite que lhe esteja ligado e um sistema de recepção satélite. Este tipo de tomada tem aplicação em instalações individuais ou colectivas onde sejam distribuídos sinais Terrestres combinados com sinais de FI de satélite, como sejam instalações com Processadores de FI ou com o sistema de comutação MULTIMAT.

Cada uma destas gamas é constituída por:

Tomada SEPARADORA

  • Ref. 5232 para as instalações só com Terrestres
  • Ref. 5226 para as instalações com Terrestres + FI

Por conceito, uma tomada SEPARADORA, é uma tomada com filtros separadores de banda e que requer a sua instalação apenas em sistemas de Estrela, como por exemplo num apartamento em que o repartidor ficará na caixa de entrada e daí sairão tantos cabos quantas as tomadas que compõem a instalação. Esta tomada nunca deverá ser aplicada como tomada final de um sistema em Cascata-Série.

Tomada Cascata-Série

  • Ref. 5230 (T4), 5233 (A7) e 5231 (A10) para as instalações só com Terrestres
  • Ref. 5229 (T4), 5228 (A10) e 5227 (B14) para as instalações com Terrestres + FI

Existem necessariamente três modelos de tomadas para cada uma destas instalações, cada um com diferentes Atenuações de Derivação (Ad) porque ao longo da série os níveis de sinal que servirão tanto o Televisor como o Receptor de Satélite terão que ser constantes (e equilibrados) e tal facto só se consegue com a introdução de tomadas de diferentes valores de atenuação.
No caso da Televés fazemos associar a cada referência de tomada o TIPO, tratando-se de um conjunto de uma Letra e um Número que simbolizam: a Letra, a posição da tomada no circuito, e, o Número, a atenuação de derivação da mesma. Por exemplo, a terminologia T4 significa:

  • T - Tomada Terminal (Não confundir com Separadora)
  • 4 - Atenuação de derivação, em dB, na saída TV

Assim a ordem e a posição das tomadas, aconselhável para uma cascata será a seguinte:

Só com terrestres:

Terrestres + FI:

2. Instalação

Por hábito, a tomada de TV é instalada na chamada Caixa de Aparelhagem Simples (60 x 43 mm de profundidade). É um mau hábito que a cima de tudo prejudica bastante o correcto funcionamento da instalação, pelas razões que de seguida passaremos a apresentar. A preparação do(s) cabo(s) para fixação nos bornes das tomadas é feita com os mesmos já colocados nos tubos e extremidades com comprimento "quanto basta" para fora das caixas. Acontece que o mal está neste comprimento "quanto basta". Se for em demasia é bastante vantajoso, poderemos descarnar o cabo à vontade preparando correctamente as pontas para a posterior ligação aos bornes da tomada. No entanto, depois de correctamente ligadas as pontas, temos necessidade de arrumar, tomada e cabo coaxial, dentro da caixa de aparelhagem e aí começam os problemas.

Se a caixa for de fundo simples teremos bastante dificuldade em arrumar convenientemente o cabo e muitas das vezes, senão todas, sujeitamos o cabo a raios de curvatura bastante apertados (prejudica imenso a qualidade da instalação, ver IT nº1) e algumas vezes as próprias garras das tomadas ferem de morte o cabo, furando a cobertura e a lâmina. Poderá pensar-se que a solução passará por melhor calcular o comprimento "quanto basta", acontece que este comprimento, se for demasiado curto, obrigará o instalador a trabalhar em condições tal que o descarnar nunca é feito com a qualidade devida: as pontas são curtas, o descarnar torna-se bastante difícil e a fixação destas à tomada nunca será a ideal. A melhor solução passa pela utilização de Caixas de Aparelhagem de Duplo Fundo (65 x 65 mm de profundidade). Com esta mudança, o instalador passa a ter mais 60 cm3 para arrumar a tomada e sobretudo o cabo coaxial, sem lhe causar qualquer dano, o que é o mais importante.

Televes
Televes Televes