The wishlist name can't be left blank

Documentação

A documentação mais completa e actualizada dos nossos produtos e serviços disponíveis para visualização e download. Seleccione uma categoria para iniciar a pesquisa.

InfoTeleves 78 (Fevereiro 2017)

Informaçao geral

Infraestruturas de telecomunicações: perspetiva centrada no cliente

Ser uma referência num qualquer sector de atividade é um objetivo para qualquer empresa, sendo no entanto o mais difícil, manter essa posição privilegiada ao longo dos tempos. Para tal é necessário acompanhar de muito perto o mercado e ter a capacidade de desenvolver a flexibilidade necessária para se conseguir uma moldagem às alterações constantes. A este desafio respondemos com a criação de uma unidade de negócio de Infraestruturas de Telecomunicações. Com esta unidade de negócio, a Televés adapta a sua estrutura corporativa à evolução das tecnologias em paralelo com as solicitações e necessidades dos clientes.

Um dos seus grandes objetivos são as redes ultrarrápidas e de alta capacidade, solicitadas pelos clientes do sector profissional e residencial. Um exemplo do rápido desenvolvimento são as redes de nova geração (FTTH e HFC) que, no caso Português, já superaram o número de acessos da tecnologia em cobre ADSL. Especial atenção merece-nos o nicho da Hospitalidade, verdadeiros beneficiados de uma integração chave na mão de serviços de televisão e dados nas suas instalações.

Infraestruturas de Telecomunicações gerem de forma mais eficiente e global as distintas soluções oferecidas pelo Grupo Televés em cada mercado: TV, RF Overlay, FibreData, VOIP, IPTV, CoaxData, etc., desenvolvendo um catálogo completo de soluções flexíveis para redes com vários serviços integrados e capazes de se adaptarem às necessidades de cada cliente. O objetivo é ajudar os instaladores a uma adaptação às novas tecnologias e incrementar valor acrescentado às suas vantagens competitivas, seja flexibilidade, personalização e prestação de serviços à medida.

A marca Televés deve estar posicionada ao mais alto nível numa área de negócio em pleno desenvovimento e com grandes perspetivas de crescimento em todo o mundo. A inovação, qualidade e serviço ao cliente são neste aspeto, valores diferenciadores da marca Televés.

Televes no mundo

Tour H30FLEX em Portugal

(Portugal, 9-27 Janeiro)

De Bragança a Faro, o Tour H30 Flex percorreu Portugal Continental de Lés-a-Lés com paragem em 15 localidades distintas. Os eventos decorreram durante o mês de Janeiro e tiveram a participação de inúmeros instaladores elétricos e de telecomunicações, que sentirem a facilidade de utilização do Novo Medidor de Campo H30FLEX.

O objetivo da Televés não ficou apenas pela mera apresentação de mais um produto, mas sim que os profissionais efetuassem na primeira pessoa um verdadeiro test-drive ao equipamento.

Em paralelo às apresentações do Novo Medidor, foram apresentadas na Unidade Móvel Televés a Nova Antena DAT Boss, a gama de Kit’s RTP to PAL e as soluções de Luminárias LED da GAMELSA, uma empresa do Grupo Televés.

O Tour H30 Flex teve a colaboração de vários distribuidores de material elétrico, sendo os vários eventos publicados online através do canal de Facebook da Televés Portugal.

Última hora

Versão 1.13 para H30FLEX

Disponibiliza-se uma nova versão1.13 de firmware.

Entre os UPDATES implementadas, destaca-se o acesso à informação da posição orbital de um satélite em detrimento do parâmetro de “Network Name”.

Adicionalmente ficam disponíveis as seguintes  vantagens:

  • Medidas de potência satélite otimizadas.
  • Representação do espectro de satélite otimizado.
  • Aumento da velocidade de amostragem espectral.
  • Span Full em satélite ampliado para 1.25 GHz
  • Função "Apontar Antena" disponível desde o menu de espectro.
  • Avisos acústicos perante mensagens de error.
  • Seleção do standard de TV terrestre analógico no menu de configuração.
  • Informação do Número de Portadoras,  Intervalo de Guarda e Cell Id em Ecos.
  • Otimização da sincronização DVBT/DVBT2 através do offset em frequência.
  • Adicionados novos planos de canais (CCIR AUS,CCIR NZ, FOXTEL, ExpAM, Optus, Amos,  Eutel3, Eutel36, ...).

Atualização disponível na secção de download da web do H30FLEX: h30flex.televes.com

Fotos curiosas

50 anos ao serviço

Nestes tempos em que a idade para a reforma é prolongada cada vez mais, também esta antena continua a desempenhar as suas funções após 50 anos de árduo trabalho com o mesmo fulgor de quando contribuiu para a receção de imagens a preto e branco.     Certamente muitas foram as novidades que transmitiu aos seus proprietários, inicilamente através de um espectro analógico simplista até ao agora aglomerado de bits através de modulações mais complexas.

A verdade é que os anos parecem não passar por esta antena e muitas foram as histórias que transmitiu.

Perguntas frequentes

Como registar o H30FLEX?

O registo de um Medidor H30FLEX durante os primeiros 30 dias após a sua aquisição permite ativar de forma totalmente gratuita duas funções de medida

OPINIÃO DO ESPECIALISTA

O processo de registo de um medidor H30FLEX é muito simples e ter-se-á que seguir as seguintes instruções:

O código QR e o endereço WEB indicado no ecrã do medidor estão relacionados com o número de série do equipamento, sendo o PIN obtido um código exclusivo para cada medidor a registar.

O registo defectuado durante os 30 dias após ligar o equipamento pela primeira vez, o medidor dispõe gratuitamente de duas referências de opções: ref.593235 que possibilita uma maior gama de medida de nível de sinal e a ref.593234 que ativa a função dCSS (digital channel stacking switch).

Premir Ok para iniciar o registo.

OPÇÃO A: Copiar o código QR através de smartphone ou tablet

OPÇÃO B: Copiar o URL para um navegador WEB

Registo do H30FLEX na web. Após realizado o processo será enviado um PIN por e-mail.

Introduzir o PIN no H30FLEX

REGISTO REALIZADO COM SUCESSO
Disfrute do H30FLEX!

Novas tecnologías

A implantação crescente de OTT em redes multi-serviços

As OTT estão a converter-se nos principais serviços de integração em redes multi-serviços nas infraestruturas de telecomunicações

Um número crescente de operadores estão a iniciar a implementação de OTT, fazendo com que os utilizadores necessitem cada vez mais de ligações de banda larga e com maiores capacidades de download e streaming de vídeo.

Mas o que é realmente uma OTT?

É um conjunto de diferentes tecnologias que utilizam a Internet e os seus protocolos standard para fornecer aos utilizadores conteúdos multimédia, sejam vídeos em direto ou VOD.

Da mesma forma que para o IPTV, as OTT utilizam o protocolo IP para a distribuição de conteúdos. No entanto, ao contrário do IPTV, a OTT utiliza como rede de distribuição uma rede sem qualquer tipo de gestão (“unmanaged”) tal como a Internet. Assim não é possível a utilização de encapsulamento MPEG-TS porque este requere condições estáveis da rede sem perda de pacotes. É então utilizado o “streaming IP” de vídeo.

Numa rede unmanaged como é a Internet, a largura de banda varia, as condições não são estáveis e a qualidade de serviço não está garantida, trabalhando-se sob condições de “best effort”, ou melhor tentativa.

Exemplos de serviços OTT são o Youtube, Netflix, Amazon LoveFilm, Hulu, Sky Go, BBC iPlayer e o Yomvi. Estes conteúdos podem ser livres (como o caso do Youtube) ou encriptados e sujeitos a uma subscrição através de um pagamento por conteúdo ou por periodicidade de acesso (como para o caso do Netflix).

Para a receção de conteúdos OTT pode-se utilizar um recetor específico (por vezes associado a outra tecnologia de difusão, como pode ser o caso do satélite ou cabo) um televisor, tablet, Smartphone e a partir do aplicativo correspondente para visualização.

Relativamente à taxa binária que deve ser garantida para uma determinada Qualidade de Serviço, esta depende do tipo de serviço que se deseja distribuir, SDTV, HDTV ou UHDTV. De acordo com dados da Netflix, 3 Mbps é a taxa recomendada para streaming SD, enquanto o HD requer pelo menos 5 Mbps e 25 Mbps para 4K. No entanto estas taxas são reduzidas um pouco com a introdução de novos Codecs, como HEVC (MPEG5), que reduzem a taxa binária de 2.5 Mbps para HD e 15Mbps para 4K.

Embora na maioria dos casos seja difícil para um ISP (Fornecedor de serviços de Internet) assegurar estas taxas, podem-se utilizar técnicas de buffering (armazenamento) para visualizar conteúdos, mas obviamente não o é possível para transmissões em tempo real. Para otimizar a distribuição utilizam-se CDNs (Content Delivery Networks), que permitem melhorar a eficiência aquando da gestão de conteúdos numa rede unmanaged como a Internet.

OTT é mais um exemplo de serviços com valor acrescentado a integrar numa infraestrutura de rede multi-serviço que acolhe televisão e dados de forma flexível. A Televés continuará a apostar em colocar à disposição do integrador e dos gestores de manutenção de infraestruturas de telecomunicações redes capazes de gerir fluxos crescentes de dados que capacitam serviços como as OTT’s, ou outros associados à Internet das Coisas, Smart Cities, Lar Digital, Teleassistência, Ultra Alta Definição, entre outros.

Formação

Opção Teste Satélite H30FLEX

Como analisar os sinais de uma Antena parabólica tirando partido das funcionalidades do H30Flex?

Inicialmente dever-se-á definir o plano de canais do satélite de acordo com a orientação da antena parabólica. Acede-se assim ao menu principal com a tecla HOME, e na opção Configuração acede-se através da tecla OK ou ► escolhe-se o Plano Satélite desejado. Em cada plano existe uma série de transponders definidos e que serão utilizados para verificar a correta orientação da antena.

É importante que na parte de Configuração se defina a Banda de utilização correta, ou seja, SAT, caso contrário surgirá uma mensagem de erro a indicar que esta função não está disponível para sinais terrestres.

Ao aceder à função Teste Satélite (opção acessível desde o menu principal e pela tecla, HOME) com a tecla OK ou ► acede-se ao SETUP. Surge um menu com várias opções (alimentação, DiSEqC, SCR, Nível Ref. e Canais) escolhendo-se esta ultima com a tecla OK.

 

Define-se o número de transponders desejados (de 1 a 4), em # Canais. Posteriormente selecionam-se os que se pretendem realizar as medidas através da listagem disponível. É conveniente definir a alimentação do LNB em modo automático para garantir a possibilidade de escolha de transponders com distintas polarizações. Caso a totalidade dos transponders possuam a mesma polarização poder-se-á definir a alimentação de forma manual.

A tecla BACK permite sair do SETUP para voltar ao menu principal de Teste Satélite.

Os transponders são representados por barras verticais e com as teclas e ►, selecionam-se cada um possibilitando o acesso às medidas de PWR e C/N respetivas. A barra sombreada indica a seleção do transponder relativo às medidas apresentadas; mostrando também a ordem do transponder selecionado, isto é, como no exemplo, o primeiro transponder dos quatro eleitos (1/4).

De forma análoga à opção Scan Sistema, ciclicamente os transponders ficam sombreados para identificação de qual está a ser descodificado pelo medidor nesse mesmo instante. A informação do nível de referência é apresentado e por defeito encontra-se em modo automático, ao qual é possível personalizar no menu SETUP, entre 60 e 110dBµV, em intervalos de 10dB. Após leitura dos transponders introduzidos e respetiva sintonização são apresentados os valores das medidas de MER, LDPCBER e BCHBER para DVB-S2 e MER, CBER e VBER para DVB-S em detrimento do PWR e C/N.

Para voltar a aceder PWR e C/N, basta premir em OK. A distinção entre DVB-S e DVB-S2 realiza-se de forma automática e totalmente transparente para o utilizador, acedendo-se à frequência do transponder selecionado (frequência real ou intermédia, de acordo com a Configuração pré estabelecida). As barras dos transponders selecionados apresentam-se com cores distintas (vermelho, amarelo e verde), estando de acordo com os perfis de qualidade estabelecidos. No mesmo ecrã é apresentada a informação da identificação do satélite relativamente à posição orbital detetada.

Para agilização dos procedimentos e caso não se altere o plano, quando se aceder novamente à opção Teste Satélite surgem os mesmos transponders para análise de uma nova instalação.

Dica

Poupe tempo com o ASuite

O ASuite é uma aplicação que permite a configuração da nova AVANT9 e está disponível para ambientes Android e Windows. Os parâmetros de configuração da central podem ser guardados num tablet, smartphone ou PC, sendo possível efetuar o processo após a  instalação ou previamente à instalação da AVANT9 em obra.

Independentemente do meio utilizado para o processo de configuração, este é automático contribuindo para que o ajuste de uma central de cabeça seja uma tarefa simples e rápida.

Uma vocação em ajudar os instaladores a dispor de um conjunto de vantagens competitivas: flexibilidade, personalização e serviços à medida .

Aplicação disponível em: asuite.televes.com

Instalação rea

HOTEL 1908 ALMIRANTE REIS

O Hotel 1908 é um projecto de reabilitação de um edifício do ano que lhe dá o nome e que foi eleito prémio Valmor aquando da sua construção. Situa-se entre a avenida Almirante Reis e o Largo do Intendente, é constituído por 36 quartos, um bar e café com esplanada para o Largo do Intendente.

Recepção de TDT, FM e 3 Satélites com LNBs ópticos que servem um sistema T0X montado em Bastidor com 5 MUXS DVBS2-COFDM para programas livres de satélite, 2 MUXS DVBS2-COFDM previstos para programas do operador, 1 MUX TDT e 1 MUX para 2 programas internos HD, com aproximadamente 50 programas transmitidos em digital.

INSTALLER:

ELETROEST

DISTRIBUIDOR:

VEDREL

Anúncio

Avant9

Central de amplificação programável para MATV e SMATV